VISIBILIDADE SOCIAL DO MÉTODO APAC: COMO A SOCIEDADE ENXERGA O TRATAMENTO HUMANIZADO NO CÁRCERE

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35685/revintera.v5i1.2528

Palavras-chave:

APAC, Ressocialização, Reabilitação, Aceitabilidade Social

Resumo

Esta pesquisa tem o objetivo de investigar a aceitabilidade e a percepção social do método APAC. O estudo utilizou uma abordagem exploratória, descritiva e quali-quantitativa, através de entrevista com aplicação de questionário semiestruturado à indivíduos aleatórios passantes na praça central da cidade de Itaúna/MG. O estudo mostrou que 82% dos participantes tinham conhecimento sobre a APAC e apenas 72% confirmaram acreditar na recuperação do criminoso, no entanto, apesar do número expressivo, esse resultado pode ser considerado insatisfatório, uma vez que as APACs instaladas em Itaúna/MG são as mais antigas em funcionamento no Brasil, com mais de 32 anos de existência. A conclusão destaca a importância da metodologia APAC para reabilitação de presos e a necessidade de se buscar alternativas ao sistema prisional tradicional, que atualmente não oferece condições adequadas para o cumprimento da função recuperativa da pena. Por fim, a pesquisa deixa bem claro a maior necessidade de se publicizar os resultados e a própria metodologia, para que se possa alcançar o reconhecimento da capacidade e importância da APAC como uma excelente alternativa para os problemas e incapacidades apresentadas pelo sistema prisional brasileiro.

Biografia do Autor

PACHECO, E. J. P., Universidade do Estado da Bahia

Doutorando em Criminologia pela Universidade do Porto. Doutorando em Ecologia Humana e Gestão Socioambiental pela Universidade Estadual da Bahia. Mestre em Perícias Forenses pela Universidade de Pernambuco. Possui graduação em Ciências Contábeis pela Universidade Federal do Amazonas (1997), graduação em Direito pela Universidade do Estado da Bahia (2008) e especialização em Execução de Políticas de Segurança Pública. Perito Criminal da Polícia Federal aposentado. É professor assistente do Curso de Direito da Faculdade de Ciências Aplicadas e Sociais de Petrolina. Foi Papiloscopista Policial Federal e Sargento Especialista em Equipamentos de Voo da Força Aérea Brasileira. Membro do Grupo de Pesquisa "Direito, Instituições e Dinâmicas Sociais" cadastrado no CNPQ. Tem experiência nas áreas de Ciências Contábeis, Direito, Criminalística, Perícias Forenses, Criminologia, Psicologia Jurídica e Criminal e Educação. Trabalha atualmente como Assistente técnico e Perito Judicial.

AMORIN, D. G., Universidade do Estado da Bahia

Graduação em Ciência da Computação pela Universidade Católica de Pernambuco (1988), Especialização em Ciência da Computaçao. pela Universidade Federal de Pernambuco (1993) e doutorado em Electrónica y Computación pela Universidad de Santiago de Compostela (2007) - reconhecido como Ciências da Computação e Matemática Computacional pela Universidade de São Paulo (USP) (registrado, processo n 2009.1.19269.1.3) e Pós-doutorado em Computação pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)(2013), Atualmente é professora adjunto da Universidade do Estado da Bahia e professora Titular da Faculdade de Ciências Aplicadas e Sociais de Petrolina. Professora do Corpo permanente do Programa de Pós-graduação do Mestrado em Educação, Cultura e Territórios Semiáridos (UNEB/DCH) e do Programa de Pós-graduação do Mestrado em Ecologia Humana e Gestão Socioambiental (UNEB/DTCS) .Tem experiência na área de Inteligência Artificial com ênfase em Redes Neurais Artificiais, representação de conhecimento e web Semântica na Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: Aprendizado de Máquina, Reconhecimento de Padrões, Padrões de Metadados Educacionais, Learning Objects e IMS Learning Design. Participa de corpo editorial e revisora de periódicos internacionais/nacionais e de conferências da área. Avaliadora do Ministério da Educação e Cultura (MEC) desde 2008.

AMORIM, R. J. R., Universidade do Estado da Bahia

Graduado em Ciência da Computação pela Universidade Católica de Pernambuco (1989), com mestrado em Engenharia de Produção, linha Mídia e Conhecimento, pela Universidade Federal de Santa Catarina (2002) e doutorado em Electrónica y Computación pela Universidad de Santiago de Compostela (2007) - revalidado como Ciência da Computação pela Universidade Federal de Pernambuco (registrado, processo n 009949/2009-SRD). Atualmente é professor adjunto da Universidade do Estado da Bahia e professor titular da Faculdade de Ciências Aplicadas e Sociais de Petrolina. Atua na área de Ciência da Computação com ênfase em Inteligência Artificial, Representação de Conhecimento e Engenharia de Software. Também, atua na área de Informática na Educação, com ênfase em Ontologia Educacional, Padrões de Metadados Educacionais, Objetos de Aprendizagem, Learning Design e Analíticos de Aprendizagem. Orienta trabalhos de mestrado, especialização, iniciação científica e de conclusão de curso na área de Computação e Informática na Educação. Participa de corpo editorial e como revisor de periódicos e conferências internacionais.

SILVA, C. M. L., Faculdade de Petrolina

Doutora em Educação e Ciências pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS; Mestre em Gestão do Desenvolvimento Local Sustentável pela Faculdade de Ciências da Administração de Pernambuco - Universidade de Pernambuco - FCAP-UPE , graduada em Ciências Econômicas (com ênfase em Economia Rural) pela Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE. Professora Adjunta Faculdade de Ciências Aplicadas de Petrolina - FACAPE, ministrando as disciplinas Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente e Cidadania, Gestão e Educação Ambiental, Fundamentos de Economia nos cursos de Economia, Administração,Direito e Gestão da Tecnologia da Informação. Coordenou o curso de Bacharelado em Secretariado Executivo da FACAPE (2009-2016). Ministrou a disciplina Direito Ambiental no Doutorado em Ecologia Humana da Uneb em Juazeiro-BA. Atualmente, é membro do Comitê Científico da Facape e faz parte do Projeto Escola Verde (UNIVASF/FACAPE). Representou a Facape no Conselho Municipal de Meio Ambiente de Petrolina - COMDEMA. Tem experiência na área de Economia, com ênfase em Agronegócios, Meio Ambiente e Sustentabilidade.

Downloads

Publicado

22-06-2023

Como Citar

PACHECO, Edson; AMORIM, Dinani; AMORIM, Ricardo; SILVA, Cláudia. VISIBILIDADE SOCIAL DO MÉTODO APAC: COMO A SOCIEDADE ENXERGA O TRATAMENTO HUMANIZADO NO CÁRCERE. Revista Interação Interdisciplinar (ISSN: 2526-9550), [S. l.], v. 5, n. 1, p. 28–47, 2023. DOI: 10.35685/revintera.v5i1.2528. Disponível em: https://publicacoes.unifimes.edu.br:443/index.php/interacao/article/view/2528. Acesso em: 17 jun. 2024.