MELATONINA: EFEITOS NA PRODUÇÃO IN VITRO DE EMBRIÕES BOVINOS

Autores

  • Izabella Ferreira Queiroz
  • Andressa Rodrigues Amorim
  • Cíntia Rodrigues da Silva
  • Giovana Barros Nunes
  • Gisele Zoccal Mingoti
  • Priscila Chediek Dall’Acqua

Resumo

Resumo: A melatonina é um potente antioxidante, tem sido usado com sucesso durante a maturação in vitro (MIV) para proteger os oócitos de espécies reativas de oxigênio (EROs), melhorando a capacidade de fertilização e de desenvolvimento embrionário. Desta forma, o objetivo do presente trabalho foi fazer uma revisão da literatura sobre o emprego da melatonina na produção in vitro de embriões bovinos, utilizando a base de dados do Google Acadêmico, com as seguintes estratégias de busca: Antioxidante, Estresse Oxidativo, Produção In Vitro, Biotecnologia. Durante a produção in vitro de embriões (PIVE), as células são expostas a fatores ambientais que induzem à produção de EROs, as quais atuam como importantes moléculas sinalizadoras. Porém, quando em excesso, as EROs são capazes de alterar a homeostase celular e podem causar apoptose, essa condição é denominada estresse oxidativo. Por isso, na tentativa de evitar o estresse oxidativo, controlando o excesso de EROs, antioxidantes vêm sendo empregados na PIVE. Nesse sentido, destaca-se o emprego da melatonina durante a MIV, pois além de contribuir com a redução do estresse oxidativo, é capaz de promover a maturação oocitária, com isso, é observado o aumento da clivagem e da produção de blastocistos. No entanto, o uso dessa substância deve ser feito com cautela, pois em concentração elevada pode ser tóxica para os oócitos, provocando retardo da maturação e diminuição do desenvolvimento embrionário. Em conclusão, é evidente que o uso da melatonina é capaz de contribuir para a melhoria dos resultados da PIV.

Downloads

Publicado

10-02-2022