A IMPORTÂNCIA DAS CRENÇAS POPULARES NA MEDICINA

Autores

  • JOÃO VICTOR REZENDE CARMO UNIFIMES

Palavras-chave:

Crenças. Cultura. Medicina Popular. Religião.

Resumo

O mundo contemporâneo é marcado por evoluções e tecnologias no meio técnico-científico, as quais vem para aprimorar o conhecimento de todas as áreas da ciência. Entretanto, é necessário dar espaço também ao conhecimento popular que está inserido na cultura de cada grupo social. Sendo assim, a inserção das crenças populares na medicina se mostrou eficaz no tratamento de doenças. Desse modo, o presente exposto tem o objetivo de mostrar a pertinência da medicina junto às crenças populares para melhor assistência e eficiência das terapias. Para isso, foi realizada uma revisão bibliográfica de artigos encontrados no Google Acadêmico que discorriam sobre o tema proposto. Nesse contexto, é sabido que as crenças populares são valores vindos do saber cultural, em que estão relacionadas com as vivencias de grupos sociais. Nesse sentido, muitas vezes esses saberes passam do processo saúde-doença para uma determinante mágico-religiosa (CAMARGO,2011). No Brasil, a associação entre medicina e religião está empregada no país desde o nosso princípio. Com a chegada dos portugueses, os jesuítas baseavam todas as práticas médicas à religião, onde todos os procedimentos realizados eram com base no catolicismo, com o intuito de purificar e salvar a alma do enfermo (CAMARGO,2011). Dessa forma, mesmo depois de tanto tempo, a medicina popular vem ganhando espaço para o fornecimento de tratamento de algumas enfermidades, principalmente em sociedades com menor densidade demográfica. Além disso, a importância dessa modalidade da medicina foi reconhecida pela Organização Mundial de Saúde (OMS), onde a organização comprovou a sua eficácia para a manutenção da saúde desses grupos sociais (BARBOSA et al, 2004). Entretanto, o modelo assistencialista, vigente no Sistema Único de Saúde, mesmo com toda ênfase na integralidade, faz com que os profissionais da saúde negligenciem alguns aspectos como a religião e a espiritualidade, os quais são fundamentais em todo processo saúde-doença (BARBOSA et al, 2004). Sendo assim, como comenta Barbosa (2004), o psicológico do paciente é um fator primordial para a eficácia de uma terapia, sendo fundamentalmente importante o envolvimento de aspectos como a fé, espiritualidade, religião e cultura no percurso entre a doença e a cura do indivíduo. Dessa maneira, é notória a pertinência do envolvimento do imaginário popular no processo de cura do paciente. Portanto, seria de suma importância o conhecimento dos profissionais da saúde sobre as crenças populares que englobam a sua região de atuação, fazendo com que haja uma melhor execução do princípio da integralidade do SUS.

Downloads

Publicado

2022-01-31